quinta-feira, julho 31, 2008

Será que...


Perito na criação de tabus, o Presidente da República vai falar ao país através de uma comunicação oficial feita a partir de Belém...

Um assessor disse ao
Público que só uma razão verdadeiramente importante levaria o Presidente a interromper as férias e a usar a televisão para falar ao país, na abertura dos telejornais das 20 horas. Será que se confirma uma historieta que me contaram vai para três ou quatro meses?!

5 comentários:

OBSERVADOR disse...

PR esclarece que se vai dirigir ao país pela segunda vez

in TSF.pt, 2008.07.31/12:17

O Presidente da República vai fazer hoje às 20:00 uma declaração ao país, pela segunda vez no seu mandato, sendo a primeira em Novembro de 2006 para anunciar a data do referendo ao aborto, esclareceu a assessoria de imprensa de Cavaco Silva.
A assessoria de imprensa do presidente da República diz que Cavaco Silva faz questão de sublinhar que esta não pode ser considerada uma decisão inédita por dois motivos.

Por um lado o Presidente da República não vai interromper as férias para fazer esta declaração, uma vez que tem mantido várias audiências em Belém.

A assessoria de imprensa esclarece ainda que esta é a segunda mensagem que Cavaco Silva dirige aos portugueses. A primeira aconteceu quando anunciou a data do referendo ao aborto.

Rui Castro disse...

o tabú de Cavaco

Ouço na TSF e leio no Público que Cavaco fala ao país, mais logo, quando forem 20:00. Ninguém sabe do que se trata, mas são as próprias fontes da presidência que anunciam a gravidade de um assunto que impele Cavaco a interromper as suas férias para se dirigir à nação. O 31, habitualmente bem informado, consultou as suas fontes mas as informações são contraditórias. Se por um lado, nos garantem que Cavaco irá abordar a problemática da qualidade da água em Boliqueime, o que tem causado uma incómoda alergia ao nosso PR, outros há que juram a pés juntos que o assunto é mais grave e que o Presidente irá interpelar o Governo a propósito do horário de encerramento dos bares na ilha de Tavira.

Felismina disse...

Fiquei desolada, esperava que o Senhor Presidente da República desse um voto de confiança ao meu querido presidente e nem uma palavra sobre a louvável aplicação do recolher obrigatório na Ilha de Tavira. Ora bolas!
Pior, perorou tanto sobre os Açores e a Assembleia da República que nem sobrou tempo de antena para falar do "nosso" Glorioso!
Estou inconsolável, prontos!

OBSERVADOR disse...

Estatuto dos Açores motiva discurso ao País

in CORREIO DA MANHÃ, 2008.07.31

O Presidente da República, Cavaco Silva, dirigiu-se esta quinta-feira ao País para salientar as suas dúvidas sobre o decreto-lei do Estatuto Político-Administrativo da Região Autónoma dos Açores, rejeitado na terça-feira pelo Tribunal Constitucional (TC), e anunciou que vai devolver o diploma à Assembleia da República.



No início de Julho, Cavaco Silva requereu junto do TC a fiscalização preventiva da constitucionalidade do decreto da Assembleia da República que aprovou a terceira revisão do estatuto. O chefe de Estado levantou 13 questões sobre o Estatuto dos Açores, tendo o TC considerado oito delas contrárias à lei fundamental.

Hoje, o chefe de Estado anunciou que “vai devolver o respectivo diploma à Assembleia da República”, para emendar as inconstitucionalidades ou confirmar a lei, e lançou também alguns recados políticos, chamando a atenção para outras normas que lhe levantam “sérias reservas de natureza político-institucional”.

A principal questão relaciona-se com a norma relativa à dissolução da Assembleia Legislativa dos Açores que "restringe o exercício das competências políticas do Presidente da República", e que inova em relação aos Estatuto em vigor e em relação aqo Estatuto da Madeira, disse cavaco Silva. O chefe de EStado salientou ainda que esta norme põe em causa "o equilíbro e a configuração dos poderes" do sistema político previsto na Constituição.

Cavaco Silva lembrou ainda que "em devido tempo" alertou dirigentes políticos sobre a questão em causa.

OBSERVADOR disse...

PS promete análise atenta às palavras de Cavaco

in TSF.pt, 2008.08.01

O PS acerta o passo e promete análise atenta às palavras do presidente da República. Cavaco Silva salientou na comunicação ao país, na quinta-feira, que o novo Estatuto Político-Administrativo dos Açores pode colocar em causa a separação de poderes e competências dos órgãos de soberania consagrados na Constituição.

Reacção de Vitalino Canas, porta-voz dos socialistas, que promete ouvir o PS/Açores

Contactado pela TSF, o porta-voz do PS, Vitalino Canas, começou por remeter uma reacção para os socialistas dos Açores, mas agora disse concordar com a posição defendida pelo grupo parlamentar.

Em comunicado, o líder parlamentar do PS, Alberto Martins garantiu que os deputados socialistas estão a seguir sem dramatismos o processo de elaboração do novo estatuto dos Açores. Vitalino Canas vem ao encontro desta opinião.

«O PS irá analisar as preocupação do senhor presidente da República manifestada sobre algumas das disposições do Estatuto Político-Administrativo dos Açores e na base dessa análise se verá o que fazer, tendo também em conta aquilo que são as disposições do PS Açores», defendeu Vitalino Canas.

O porta-voz promete assim um encontro de opiniões entre continente e ilhas, porque em declarações de sentido contrário o vice-presidente do Governo regional, Vasco Cordeiro, garantia ontem à noite que o PS só vai emendar os artigos criticados pelos conselheiros do Tribunal Constitucional.