sexta-feira, maio 16, 2008

Travessias ferroviárias mais seguras


No âmbito da valorização da Linha do Algarve e da melhoria das condições de segurança, a Rede Ferroviária Nacional - REFER, E. P. tem vindo a estabelecer protocolos com as autarquias para beneficiar e suprimir travessias ferroviárias...

Neste contexto, foi desenvolvido o projecto para a construção de uma passagem superior no Troço Tunes-Vila Real de Santo António, no sítio da Arroteia - Luz de Tavira, procedendo ao alargamento da actual travessia e criando uma alternativa válida à actual passagem de nível do Livramento, a qual será posteriormente encerrada.

Sendo manifesto o interesse público das obras a realizar e considerando que para a sua concretização é indispensável proceder à expropriação de terrenos para além dos limites do domínio público ferroviário, a secretária de Estado dos Transportes, Ana Paula Vitorino, fez publicar no Diário da República a necessária
declaração de utilidade pública, com carácter de urgência, das expropriações dos bens imóveis e direitos a eles inerentes, os quais se destinam a integrar o domínio público ferroviário, cuja gestão encontra-se atribuída à REFER

É um mais um passo, um pequeno passo para resolver um vasto conjunto de problemas!

4 comentários:

confraria_da_alfarroba sociedade de irresponsabilidade & limitada disse...

A REFER, os comboios, os transportes públicos, o algarve... A segurança é a prioridade? a prioridade não seria - antes - pensar e estruturar um sério plano de serviços públicos na área dos transportes? uma rede electrificada, estações que sirvam a população - não votadas ao abandono, comboios modernos, horários eficazes?... A REFER, a CP e suas administrações nada fizeram para melhorar as condições do serviço público... pelo contrário, a degradação é cada vez maior. os serviços são cada vez piores. os comboios são velhos. no algarve, ou temos transporte próprio ou estamos isolados,porque sem alternativas... a CP não nos serve de facto e os autocarros não são alternativa. pensar no futuro é urgente! pensar em remendos e desenrasques pontuais é uma perca de tempo, é absurdo, estúpido...

confraria_da_alfarroba sociedade de irresponsabilidade & limitada disse...

Apenas uma nota mais: claro que é importante a segurança, mas se tudo não estivesse ao abandono - como está - se o que afirmámos anteriormente fosse o objectivo da CP (agora com mais uma invenção chamada REFER - para haver mais um corpo administrativo)a segurança seria plena...

Albuquerque de Lima disse...

A REFER não é uma invenção recente. Com a entrada de novos operadores no transporte ferroviário, nomeadamente a FERTAGUS, justificava-se que alguém administrasse de forma independente a infraestrutura. Apesar da modernização notória e da melhoria significativa das ligações Lisboa-Tunes-Faro, é um facto que as ligações regionais, entre Lagos e Vila Real de Santo António, deixam muito a desejar!

confraria_da_alfarroba sociedade de irresponsabilidade & limitada disse...

Recente ou não, facto é que é mais uma estrutura (pesada)... e injustificada ou justificada para quem a gere - apenas. o facto é que não nos trouxe nada de novo, não melhorou coisa nenhuma e o que se passou com a linha do sul (electrificada) já deveria ter sido feito há muito - mas com via dupla não esta aberração da via única. a política seguida pelos sucessivos governos em termos de transportes públicos é aberrante (e não só transportes, também no que toca a educação e a cultura... para não dizer mais)... e, repito, a linha da costa algarvia está abandonada e porque está abandonada é perigosa. é perigosa para quem é forçado a utilizar os transportes - não tem viatura próprio e perigosa porque se degrada por falta de pessoal responsável nas estações e apeadeiros (hoje tudo apeadeiros sem viva alma que responda pelos serviços ferroviários que a cp é responsável - única). a própria estação terminal de V. Real de S. António parece uma casa "assombrada"... como explica a CP ou a REFER isto? porque deixou fugir para os TIR todo o transporte de mercadoria? não seria mais natural e "ecológico" (já que hoje é moda os alternativos)o comboio?... o certo é que o povo é sereno - demais - vai deixando andar... e chegámos a esta situação lamentável. e lamentável também o desinteresse (para não dizer cumplicidade) das autarquias locais. Logo a CP está a por em perigo os seus clientes, os seus funcionários e a população em geral. Hoje há assaltos dentro dos comboios regionais, há apedrejamentos... há, há, há... porque não há segurança, porque o comboio circula sem segurança. e não é com o reduzir horários que se resolvem as coisas. é cumprir uma politica de transportes que sirva as pessoas de forma correcta. só isso.