terça-feira, maio 06, 2008

Terra Estreita com Bandeira Azul


A melhor das praias do Algarve recebeu pela primeira vez a Bandeira Azul da Europa, esperemos que seja para continuar...

Em pleno Parque Natural da Ria Formosa, a praia da Terra Estreita torna-se assim a terceira estância balnear oficial da Ilha de Tavira com este galardão, concorrendo com Tavira-Mar (Praia das Cascas) e Barril / Três Irmãos para elevar a qualidade turística do concelho de Tavira. A praia de Cabanas-Mar, já do lado nascente da barra do Gilão, é quarta praia tavirense entre as 48 existentes no Algarve!

Situada na orla marítima da freguesia de Santa Luzia, o acesso é feito por barco a partir da sede da freguesia ou das Quatro Águas ou, para os mais corajosos, a pé desde a ilha de Tavira ou da praia do Barril. Para quem não temer nudistas, é um passeio que vale a pena!

A Campanha da Bandeira Azul da Europa iniciou-se à escala europeia, em 1987, integrada no programa do Ano Europeu do Ambiente. Esta iniciativa da Foundation for Environmental Education (FEE), com o apoio da Comissão Europeia, tem como objectivo, elevar o grau de consciencialização dos cidadãos em geral, e dos decisores em particular, para a necessidade de se proteger o ambiente marinho e costeiro e incentivar a realização de acções conducentes à resolução dos problemas aí existentes.

Este galardão é atribuído pela Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE / FEE Portugal), uma Organização Não Governamental de Ambiente (ONGA), que visa a Educação Ambiental e/ou Educação para a Sustentabilidade, através da divulgação e incentivo de boas práticas.

A ABAE / FEE Portugal é membro da FEE, a qual agrupa outras ONGA que desenvolvem os mesmos programas em mais de 40 países, a maioria deles europeus mas também já nos continentes americano, africano e asiático.

3 comentários:

OBSERVADOR disse...

BANDEIRAS AZUIS CHEGAM A 193 PRAIAS

por ANA BELA FERREIRA, in DN, 2008.05.07

Municípios não concordam com critérios

Em 2008, a Associação da Bandeira Azul atribuiu 193 galardões, mais três do que no ano anterior. O Algarve continua a ser a região com mais bandeiras do País, enquanto o concelho de Vila Nova de Gaia recebeu todas as bandeiras para as quais se candidatou, 17 no total.

A praia Homem do Leme é a primeira do Porto a içar a bandeira azul, a partir do próximo dia 1 de Junho. Sem bandeira ficaram, este ano, nove zonas balneares por todo o País. Entre estas, destacam-se as muito frequentadas praias das Maçãs, em Sintra, de Carcavelos e Parede, de Cascais, e do Castelo e Morena, na Costa de Caparica (Almada), todas da Região de Lisboa e Vale do Tejo.

As praias do município de Cascais - Carcavelos, Parede e Poça - não se candidataram devido às "obras envolventes da zona balnear que não estão ainda concluídas", justificou ao DN fonte da Câmara Municipal de Cascais. "Mas as praias mantêm as mesmas características e a mesma qualidade em termos de água e areal", acrescentou.

No caso da Praia das Maçãs, concelho de Sintra, "o que aconteceu foi um compasso de espera para melhorar as condições ao longo de 2008", afirmou o vereador do Ambiente da autarquia, Marco Almeida. A praia não foi candidata porque "embora as análises à água mostrassem uma qualidade aceitável [não prejudicial à saúde pública], queremos apresentar uma água excelente", adiantou o mesmo responsável. Ao longo deste ano, a autarquia vai proceder a obras de requalificação da área balnear.

Do lado das praias condecoradas, Odemira reconquistou duas bandeiras nas praias de Zambujeira e de Vila Nova de Mil Fontes-Furnas, e viu Carvalhal receber a bandeira azul pela primeira vez. "É o resultado do trabalho feito ao longo dos anos", sublinhou o vereador do turismo da Câmara Municipal de Odemira (CMO), Hélder Guerreiro. O vereador destacou as melhorias nas acessibilidades e estacionamentos junto das zonas balneares e a disponibilização de casas de banho para os veraneantes.

Hélder Guerreiro acredita que "a atribuição da bandeira azul é fundamental para melhorar todos os dias as condições das praias". Há vários anos que a CMO não apresentava candidaturas a este galardão por não estar de acordo com os critérios de atribuição. Um dos pontos de discórdia dizia respeito à qualidade da água ser analisada com base em amostras do ano anterior.

Albuquerque de Lima disse...

Fiquei contentíssimo com a notícia, qoe coroa o trabalho exemplar do Presidente da Junta de Freguesia de Santa Luzia e do município tavirense. Venha agora a Bandeira Azul para a Praia do Homem Nu, mais a poente, onde o senhor presidente gosta de andar vestido entre os nudistas... para as televisões verem!

Informações fidedignas garantem-nos que os transportes fluviais para a Terra Estreita vão ser assegurados por duas empresas marítimo-turísticas a partir de Santa Luzia, garantindo uma saudável concorrência e contribuindo para a qualificação do serviço prestado.

Só é pena que um segredo até agora bem guardado e desfrutado por poucas centenas de pessoas possa transformar-se num destino de largos milhares de veraneantes. Deseja-se que o civismo impere e que as magníficas condições naturais sejam mantidas!

JMM disse...

Bandeiras azuis e eventos feitos de História...

Estamos perante uma nova campanha da Bandeira Azul da União Europeia, galardão que distingue as praias ambientalmente aconselháveis aos banhistas e que muito contribui para a sua promoção. No que diz respeito ao Algarve, enquanto destino turístico de primeira linha, o galardão reforça bastante os argumentos da oferta em causa, por mais bem alicerçada que esteja.

Não faz sentido não invocar o símbolo em questão e dele retirar-se o máximo partido!.. E até poderia ter um peso relativo em muitas zonas da costa portuguesa, mas no processo de captação de turismo para o Algarve, ele assume um papel extremamente relevante, ou mesmo, indispensável. Por isso cada município procura dar a máxima visibilidade às suas Bandeiras Azuis, sendo que, são as empresas turísticas e o Estado quem mais lucra directamente com os resultados que vierem a ser obtidos.

Repare-se também que a divulgação da atribuição da Bandeira Azul, começa a ser feita em Abril / Maio e deveria ser ligeiramente antecipada. Por vezes a divulgação é feita tardiamente e já não produz os efeitos (imediatos, no próprio ano) que seriam desejáveis. Cada vez mais, existe um maior número de pessoas que acatam as sugestões de cariz ambiental que são divulgadas e, por esse motivo, as campanhas devem procurar focar com bastante objectividade o símbolo da Bandeira Azul.

Aliás, toda a publicidade deve fazer referência ao galardão e passar também pela internet - nos meios de comunicação com maior visibilidade (sites de meios de comunicação social da região e em motores de busca de peso mundial como o Google ou Yahoo, entre outros). Nos tempos que correm, os meios de comunicação na internet são seguramente os mais económicos e os que conseguem levar a mensagem mais longe e a públicos diversificados. Esta é uma realidade insufismável para a qual não existem contra-indicações. Não há duas internet’s, há apenas uma! E os jornais on-line que se afirmam (porque nem todos o conseguem) sobem as preferências de mês para mês e de ano para ano conquistam mais e mais leitores. Veja-se, por exemplo, que o Região Sul on-line já é detentor de mais de 100.000 visitantes únicos/mês (leitores dedicados) e o número de páginas visitadas em igual período deverá ultrapassar em Maio os 3 milhões.

Outra questão. Considero, intuitivamente (porque não sou um técnico de turismo), que a região do Algarve - tal como as regiões vitivinícolas - deveria assumir a denominação de “Região de Turismo Demarcada” e para isso há bons argumentos: nenhuma outra região do País é detentora de tão elevado número de praias com Bandeira Azul; é a região mais ocidental da Europa donde partiram as caravelas dos Descobrimentos; pode calendarizar ao longo de todo o ano realizações baseadas em factos da História de Portugal e dos Algarves em que os eventos sejam um “regresso ao passado”, como por exemplo já o são o Festival dos Descobrimentos (Lagos) e os Dias Medievais em Castro Marim... enfim, um ano cheio de eventos caracterizadores da região e que devidamente mediatizados podem atrair uma boa fatia de turistas complementar aos adeptos do Sol e Praia.

José Mateus Moreno, in REGIÃO SUL (Editorial)
22:09 terça-feira, 13 maio 2008