sexta-feira, agosto 29, 2008

Os blogues e... Tavira (426)


Também tu, meu filho...

1 comentário:

vimaraperes - porto disse...

É ESTA GENTE QUE QUER GOVERNAR O PAÍS E NÃO CONSEGUE ARRUMAR A CASA?

Marcelo Rebelo de Sousa avisou a líder de que não bastava cortar com o legado de Luís Filipe Menezes

Marcelo sugere temas a ManuelaSegurança, défice externo e crise económica. Estes são os três pontos-chave que Marcelo Rebelo de Sousa considera decisivos para a líder do PSD ‘agarrar’ na rentrée, no seu discurso no próximo dia 7 de Setembro. Sugeridos os temas, o antigo líder do partido não quis, contudo, reagir à tese de que poderia estar arrependido por não se ter candidato. "Não vou acrescentar mais nada", afirmou ontem ao CM, depois de ter dito ao ‘Expresso’ que estava muito preocupado com o PSD e que a presidente social-democrata mostrava "pouca ambição".
De facto, no início do mês de Agosto, Marcelo Rebelo de Sousa começou por dizer que a líder tinha legitimidade para não se deslocar à Festa do Pontal. Porém, após um silêncio de três semanas de Manuela, o também analista político ensaiou um outro registo.
"Acho que a actual direcção não pode, apenas, rejeitar a realidade que existiu no passado com a liderança de Luís Filipe Menezes, pensando que regressa ao tempo de Sá Carneiro ou de Cavaco Silva. O tempo não volta para trás. Para subir ao poder, o PSD precisa de ter ideias novas e gente nova. Manuela Ferreira Leite tem como obrigação fazer a passagem para essa renovação do partido", declarou ao CM Marcelo Rebelo de Sousa no passado dia 26 de Agosto.
A pensar nas matérias fracturantes – como a da regionalização –, Marcelo Rebelo de Sousa até apontou, nessa data, o caminho a seguir: arrumar o assunto e assumir uma posição num conselho nacional, a convocar para o efeito. A proposta de Marcelo surgiu numa semana em que correu a hipótese de se começar a recolher assinaturas para um congresso extraordinário, não electivo, no final deste ano ou no início de 2009 para o mesmo efeito. A ideia é atribuída a apoiantes de Luís Filipe Menezes.
Confrontado com as declarações de Marcelo Rebelo de Sousa, Passos Coelho, ex-candidato à liderança do PSD, não quis fazer comentários, por não querer reincidir no que já disse há quinze dias.
Recorde-se que o ex-adversário da presidente do PSD considerou que o silêncio de Manuela Ferreira Leite não entusiasmava ninguém.
Questionado sobre se a fasquia é muita alta para o discurso de rentrée do próximo dia 7, a resposta de Passos Coelho é: "Naturalmente."
Por seu turno, o líder da distrital de Lisboa, Carlos Carreiras, afirmou ao CM que subscreve as preocupações de Marcelo, mas que é "preciso dar espaço à líder". O dirigente considera que Manuela Ferreira Leite "tem a obrigação de aproveitar o capital de esperança que alcançou nas directas".
Macário Correia, autarca de Tavira e apoiante da líder, acrescenta que "o raciocínio [de Marcelo Rebelo de Sousa] faz todo o sentido" e que o "silêncio [da líder] está a ser longo.