sexta-feira, abril 04, 2008

Falta de sintonia


Com problemas de memória, este PSD faz afirmações e toma decisões que pouco têm a ver com a história do PPD!

4 comentários:

JPD disse...

E as culpas próprias, não contam?

PSD diz que democracia “está em agonia”

É pena que neste diagnóstico tão prolixo e tão desenvolvido não tenha havido nem tempo nem espaço nem coragem para elencar as culpas próprias e as responsabilidades que o próprio PSD tem no estado a que chegámos enquanto Estado, mormente por efeito de ter deitado pela borda fora uma maioria parlamentar, primeiro através da fuga do Primeiro-Ministro em funções e depois através da indigitação do sucessor que se conhece. Para já não falar, obviamente, na sequência de equívocos gerados por meses finais de governação agonizante.

Anónimo disse...

Qualidade da democracia e qualidade do Parlamento.

É notório que a oposição – as oposições – estão desfalcadas de argumentos para questionar o governo. Só isso explica o tema da interpelação de hoje na Assembleia da República: a qualidade da democracia. Mas, pior que o tema, foram os casos apontados: Helena Pinto, do BE, lembrou as deslocações de polícias a um sindicato dos professores; pelo CDS-PP, «a deputada Teresa Caeiro, que se apresentou como alguém “entre os 30 e os 40 anos” que “nunca fez greve” mas que a defende como “um direito”, contestou a utilização, para avaliação de desempenho em vários centros de Saúde de Lisboa, do número de dias de greve». As notícias não nos dão conta de outros casos. É pouco, sobretudo para daí extraír «mediáticas» conclusões políticas: «A democracia não está morta, mas está em agonia», como declarou o social-democrata Montalvão Machado. Esta pobreza diminui a Oposição, o Parlamento e os Deputados da Nação.

JTV disse...

Qualidade da democracia e qualidade do Parlamento.

É notório que a oposição – as oposições – estão desfalcadas de argumentos para questionar o governo. Só isso explica o tema da interpelação de hoje na Assembleia da República: a qualidade da democracia. Mas, pior que o tema, foram os casos apontados: Helena Pinto, do BE, lembrou as deslocações de polícias a um sindicato dos professores; pelo CDS-PP, «a deputada Teresa Caeiro, que se apresentou como alguém “entre os 30 e os 40 anos” que “nunca fez greve” mas que a defende como “um direito”, contestou a utilização, para avaliação de desempenho em vários centros de Saúde de Lisboa, do número de dias de greve». As notícias não nos dão conta de outros casos. É pouco, sobretudo para daí extraír «mediáticas» conclusões políticas: «A democracia não está morta, mas está em agonia», como declarou o social-democrata Montalvão Machado. Esta pobreza diminui a Oposição, o Parlamento e os Deputados da Nação.

OBSERVADOR disse...

Arons Carvalho critica Alberto João Jardim por atacar jornalistas

04.04.2008 - 18h05 Lusa

O deputado socialista Arons de Carvalho considerou hoje "sintomático" que no dia em que o PSD acusou o Governo de não promover a democracia, o líder do PSD-Madeira ataque os jornalistas por serem "independentes e isentos".

"É sintomático que no dia em que o PSD acusa o Governo de não promover a liberdade e a democracia, o líder do PSD da Madeira dê um exemplo de desconfiança perante o papel da comunicação social", afirmou Arons de Carvalho, em declarações à Lusa, numa reacção à decisão de Alberto João Jardim de restringir o acesso dos jornalistas ao XII Congresso Regional do PSD, que começa amanhã no Funchal. (...)