sexta-feira, janeiro 04, 2008

Obama?!


Marcada pela ausência (?!) ensurdecedora de Al Gore, a eleição do 44.º presidente dos Estados Unidos da América não deixa ninguém indiferente e pode contribuir para alterar o estados das coisas em termos internacionais...

Coincidentes com a eleição do Congresso e de um terço dos membros do Senado, as eleições de Novembro serão uma oportunidade única para os Democratas assumirem a liderança interna, para os Estados Unidos sairem com dignidade do atoleiro iraquiano e recuperarem a face nos fóruns mundiais. E, essencialmente, para nos livrarmos todos de George W. Bush!!!

Com um sistema eleitoral complexo (o processo varia de Estado para Estado...), propiciador de embustes eleitorais (ninguém está esquecido da trapalhada da Florida!!!), extenuante em termos físicos (dura mais de um ano e leva as candidaturas a fazerem milhares e milhares de quilómtros) e exigente no capítulo financeiro (marcado pelos milhões de dólares de investimento em marketing político e comunicação eleitoral...), as eleições americanas são um laboratório fascinante para qualquer aprendiz de cientista político e têm contribuído ao longo dos anos para reforçar o conhecimento e a teoria nestes domínios...

Com Hillary Clinton e John Edwards no pape de favoritos do campo democrático,
Barrack Obama surpreendeu no Iowa, mas a procissão ainda vai no adro. Até ao dia 4 de Novembro, vamos estar atentos!

1 comentário:

RPF disse...

O Instituto Transatlântico Democrático lançou um Observatório das Eleições Presidenciais nos EUA. Veja e divulgue!