terça-feira, julho 07, 2009

Afinal, em que ficamos?!

Tradicionalmente, os concelhos algarvios eram divididos pela sua localização geográfica, aglormerando-se a Barlavento e Sotavento...

O desenvolvimento do turismo, a pujança financeira e as lideranças políticas de Mendes Bota e Joaquim Vairinhos colocaram em dúvida aquela metodologia, passando-se a distinguir o "Loulévento" que, articulando com Faro e Olhão sob o Risco de Manuel Salgado, alargou horizontes e começou a referenciar-se como triângulo dourado. Resta hoje o Parque das Cidades como símbodo desses tempos de cooperação inter-municipal mais inovadora, embora Olhão tenha decidido seguir o seu próprio caminho...

Passado anos, como forma de criar uma nova centralidade, é criada a Associação Sotavento Algarvio, reunindo os municípios e a sociedade civil de Alcoutim, Castro Marim, Olhão, São Brás de Alportel, Tavira e Vila Real de Santo António. Agora, como estamos a ficar mais cosmopolitas, é a vez do Algarve Central!

Por decisão político-administrativa, os algarvios continuam divididos, cada um focado nos seus interesses bem localizados e é assim que eles nos reinam. Venha, urgentemente, a regionalização!

Nota pessoal - Como Manuela Ferreira Leite já ameaçou rasgar tudo aquilo que cheire a obra ou projecto de socialistas ou afins caso ganhe as eleições em Setembro, apressem-se e mexam-se. Se têm dúvidas, perguntem às gentes de Cachopo como é, pois eles desesperam por um centro social há mais de quinze anos...


1 comentário:

J.S. Teixeira disse...

Vejam o artigo relacionado com a promiscuidade entre Dinheiros público e Interesses privados no blogue O Flamingo.